terça-feira, 29 de julho de 2008

Erguede-vos, moç@s galeg@s

Abre-se o caminho cara a luz do infinito.
Passos cansos começam a irromper,
o corpo corrupto deixa-se morrer
e tu segues sem saber o que te necessito.

Tentar, tentei-no, mas já nom podo mais.
Nom te conseguim até agora e já nom o farei.
Deixo aos que venham atrás o que nunca logrei
e que eles continuem a lutar pola sua mãe.

Soavas nos meus ouvidos como algo possível.
Por isso, busquei por ti sem te encontrar,
mas sabendo que eras quase intangível.

Ó independência! Clama por ti umha naçom.
Alcançar-te é tarde para este velho perdedor,
mas fica-lhe aos novos cumprir essa missom.

Santo2000

1 pingas caídas nesta terra:

Manuel L. Rodrigues disse...

Uish!! Que poético-patriotico está ultimamente este blog.

Fíxome gracia a entrada acidada aos da UCE (...compra el "Deverdad" compañero!!! ...es contra el nacionalismo!!).

...às veces penso se están pagados pola dereita española.

Unha aperta.